Testeira
  coluna-neandro-ferreira   / Último texto da temporada

Franja ou não: eis a questão! Neandro Ferreira pontua que o corte pode valorizar o rosto e dar um visual bem atual

Na última coluna desta temporada, Neandro Ferreira fala sobre 'franjas' e conta história intrigante que aconteceu com ele nos estúdios Globo

Neandro Ferreira Publicado terça 1 dezembro, 2020

Na última coluna desta temporada, Neandro Ferreira fala sobre 'franjas' e conta história intrigante que aconteceu com ele nos estúdios Globo
Franja: da antiguidade até os dias atuais - Wikimedia/TV Globo

Quer transformar seu look num estalo de dedos? Uma boa franja faz isso rapidamente e com poucas mudanças.

Dizem que a franja foi inventada por Cleópatra, lá no Egito antigo, mas isso parece mais estória (com E mesmo, que indica ficção) que história. Na verdade a chegada da franja nos cabelos femininos começou no início do século passado com aquele penteado super volumoso e o estilo Gibson Girl que lembra as damas do Moulin Rouge em Paris.

Gibson Girl
Wkimedia

Mas franja, franja mesmo aparece com força nos anos 20 e 30 com o icônico corte de cabelo da atriz Louise Brooks no filme A Caixa de Pandora, uma verdadeira cortina de cabelo cortada bem retinha sobre as sobrancelhas que direciona o foco das atenções para seus lindos olhos. Esse look, aliás, inspirou minha mais recente coleção lançada em agosto. Sim, corte de cabelo também tem coleções.

+++ Cabelo após quarentena! Hairstylist da famosas, Neandro Ferreira aposta em cortes inspirados nas mulheres dos anos 20 e 30

Pois este é exatamente o papel da franja. Se os olhos são as janelas da alma, a as franjas são as suas cortinas, trazendo para o primeiro plano o olhar e a personalidade por dentro dele.

Louise Brooks - Cena do filme 'A Caixa de Pandora', com direção de Georg Wilhelm Pabst

Louise Brooks - Cena do filme 'A Caixa de Pandora', com direção de Georg Wilhelm Pabst

Nos 30, a maravilhosa cantora Josephine Baker entortou os cabelos e criou aquela franja colada que fazia um desenho de C na testa e aqui no Brasil ganhou o apelido de Pega Rapaz.

Passou pelos anos 50 arredondada, como usavam as pin-ups, e depois veio reinar absoluta nos anos 60 com a geometria do cabeleireiro mais genial de todos os tempos: Vidal Sasson e seus cortes elevados ao nível do design e da arquitetura. 

Hoje, as franjas, como tudo na beleza, estão superdemocráticas e podem ser usadas de muitas maneiras e com inspirações em todas essas décadas. A mulher que usa franja é uma mulher de personalidade mais marcante porque o olho aparece mais, aliás, grita mais.

Cabeleireiro com mal de Parkinson?

Eu mesmo tenho histórias engraçadas sobre elas: fui chamado pela Rede Globo para fazer uma transformação na atriz Bianca Bin, como citei em outra coluna aqu, para a novela  'O Outro Lado do Paraíso'. A personagem voltaria poderosa e vingativa depois de um sumiço e optei por uma franja de camadas desconectadas. Fiz o corte pela manhã e perdi o emprego à tarde, porque o diretor achou que estava mal cortada.

Semanas depois, ele comentou com sua figurinista que a franja estava “em alta”, depois de ver algo como 5 ou 6 garotas na emissora usando a tal franja toda irregular.

Isso tudo pra dizer que as franjas podem valorizar o rosto, dar um visual bem atual e sim podem e devem ser usadas para todos os tipos de mulheres quando querem ir além do comum.

Bianca Bin estrela Clara em O Outro Lado do Paraíso
Bianca Bin em O Outro Lado do Paraíso - Franja por: Neandro Ferreira - Crédito: TV Globo

Com esta, fechamos nossa primeira temporada de colunas aqui na Manequim. Espero que você tenha curtido nossa convivência.

Sigo nas redes sociais @neandroferreira e @academianeandro, onde podemos continuar nossa conversa.

Último acesso: 26 Jan 2021 - 21:29:26 (1043643).